APROPRIAÇÃO CULTURAL EXISTE? PODE BRANCA DE TURBANTE?



por que vocês devem próximo ao canal e amando ou odiando troca de um vídeo que fica mais um empurrãozinho extra sobre a cooperação cultural e à empresa cipesa que costumavam têm me perguntado nada o centro de pesquisa e gestão cultural pelo depositando tempo e aí eu vou dizer depois de muito tempo de muito estudo de novas leituras eu não acredite a questão social na forma como vocês acham da lei substitui uma das coisas que vocês que ficam dando a proteção cultural e assistiram no primeiro quesito normalizar totalmente comecei falando para falar da questão cultural a nikon fato de sua cidade sorriso para diversão procurar um foi naquela época continuam sendo o nosso brio individualidade fala de pessoas tão perto do foco o suicídio se tiver que ficar muito claro fala de animação cultural é nata da sociedade ea estrutura não é falado em hindi qualidade não é se ela vai falar sobre o indivíduo então já pode estabelecer-se em contrapartida se a oferta cultural devidamente não é uma caça a grande loja ou um arranque coletiva de turbantes mulher em branco e deixe bem como exemplo as honras todos consoantes falam vencido pelo verdão cultural o que aconteceu foi uma moça de curtinho ela começou a rodar pelo remédio é impedido de retirar as conclusões só no programa se envolviam e 20 filhos que estavam nessa função para finalizar e mandar um documento que você espreme tosi adoro mudar pra começar como classe mas falaram cultura ontem novo afinal estamos no brasil gastou miscigenação carnaval sou horas ninguém do negro pelo mundo junto eu tenho vídeo com costa do espaço por menor que seja o começo do zero kikla mais um elemento que estão sem o significado a 1 força de paz da sua cultura não quer dizer automaticamente que aquele junto seja dono daquele elemento ou daquela cultura eu sou a quatro anos poderemos pensar sociais e até hoje não existe unidade no contexto de cultura então com ele vai desconstruir uma coisa específica e que essas pessoas estão bombas daquela estrutura a gente fala da origem e influência africana também violentos e áfrica nós falamos e assim enquanto continente e nós sabemos inscritos 2 pertence sim é organizar as orientais e ásia isso é óbvio só que aí o argumento que muitas pessoas estão usando mesmo lendo é que os bancos por exemplo que é o alto aos treinamento que do brasil não é membro não apresente a ferramenta por traseira por que agitou o mundo band é asiático vai começar mesmo não existe do que vi que chama a aculturação ea assimilação local existe a configuração existe assimilação cultural evite a proteção cultural é que não tendo falando eu vou dar aqui um panorama geral a configuração mais que possa parecer um celular não significa ausência de cultura a procuração que lhe queriam contar constantes entre duas culturas distintas para terem alguma vida e não de maneira simétrica e processo de assimilação cultural é quando você é uma cultura dominada durante ea vitória em absoluto o elementos culturais modelo daquela cultura dominante que estão fazendo muito mais raro os de assimilação cultural porque ninguém aguenta 90 proteção governamental que já existe a concentração eo movimento neste sofreu uma distensão grau arrancado grande depressão quando a gente fala da cooperação cultural ainda estávamos em outro momento histórico na estação da modernidade após o mesmo da viagem ainda falando em contextos sociais capitalista ainda falando sobre mercado a gente falou de outra forma de troca e outra forma de valorização do ser humano e nem se carregam as culturas então salário aculturação falha assimilação e faz operação em um país diferente as três vagas com esse poder falar sobre herança negra o senhor fala português com o seu consumidor porque o mel é quem ela ruim no clássico mais físico do que nas minhas na para minha terra do final porque é a apropriação cultural porque a gente fala sobre a austrália na copa davis e pela falta de ambiente nós estamos falando sobre os processos de construção identitária e falava isso para entender o mesmo furor ao falar sobre a necessidade da valorização e da lembrança constante a simbologia de suplemento a fantasia nos urbanos tambores breve as coisas estão ligadas à agricultura e à legendária se canal brasileiro não é colocar a voz tão bem na corda que contexto popularização claro de atenção dos jurados não fala muito mais profunda é viver que a cultura do brasileiro conquistasse o título de pagamentos foi anac foi analisada história maravilhosa nos contos bandeira quando saiu rasgando a casa de transado foram intencionalmente esvaziaram culturalmente o que é necessário para se tornar um mapa outras vazias todo seu coração cerro saiu nas costas ficando 0 no brasil tem absolutamente nada só com a roupa do corpo e ainda contam com suficiente a necessidade de apagar espanta que esse sujeito negro e funcionalmente também mas simbolicamente por exemplo do flamengo para envolve em torno de árvores nas costas para a história de ficar com aquela vaga eles mesmos foram escravizados foram misturados na igreja apesar do que muitas pessoas acham que não é um bloco então evite o controle do confronto e riscos gerais marvin ducksch tão falada como diferentes têm limite de alerta já em terras brasileiras como se não bastasse toda a velocidade certa cultura sofreram é nada qualquer chico hipertensão cultural ancestral não podia alertando-os o cabelo raspado como forma de castigo porque os senhores de engenho e não tinha como é importante o cabelo ea sustenta a maioria dos povos africanos e não estou falando aqui pelo tempo voltasse histórico simplesmente destruir toda forma possível e objetivas e subjetivas qualquer trás das histórias de janeiro brasil 11 mas inflar a sociedade atual e aponta apropriação rural a gente não está falando com você eu sinto muito eu sei que você quer ir sobre você vai informar necessariamente resolver disse surpresa a gente está falando na história se repetindo em alguns foi matar da indústria da indústria cultural do mercado e base anual os poucos elementos implicados o que é valorizada porque a gente não tem e não saiba que o medo fez muito mais pelo brasil do que simplesmente trabalhar ninguém alguma brasileira construiu esse caminho novamente e desviando os novos elementos e significado nem falando to a versão portugal não é fácil eu gosto da liberdade cultural não é falar do trajeto de maneira ágil vai entrar em sua casa eu não tô nem aí para o que você quiser e aí que o argumento a mais é um dos inscritos 2 mulher grandes ilusões que vai ter um mac a gente tá rolando em indústrias de moda a pessoa está inserida dentro da realidade os raios não vai lá eu vou dizer que não dói pra mim quanto indivíduos mulheres brancas de trânsito em breve são internalizados na cada da silva de 13 anos elas são lindas e maravilhosas não como a frente quando meu pai graças tradicional detentas foi recebida e que não dói dói pra caramba eu não é fácil isso é muito mais ângulo nesse caso estaríamos curitiba em termos imediatos é tudo que abrange tudo e amizade precisavam das negociatas ao do homem é tua do camisa 10 a 60 pessoas racistas que abrange tudo de racista precisava para dentro fala com conceitos e fazer com que mulheres negras para a organização cultural foi como ouro e do prêmio que arrancam os bandidos de mulheres brancas na rua ela foi muito má porque ela como vilã de desenhos animados mostra curitiba eu sinto o quanto do sítio maltratada que nos têm sido abusada pela música foi liberdade foi cuidar das pessoas andam dizendo você venha fazendo também um fuzil e bons ou terminar em touro bom que a mídia que escutou porque eu por exemplo vai com semana por uma vez da rodada encostada por um homem branco que peguei o meu arrancar o meu cabelo criando ser v em meio a recomendação em vermelho em 26 marcela demais em pergunta rykiel marca a chacina com jovens mesmo tempo inteiro isso mal sai no jornal toque você tem um monte de políticos que só se porque a milha é a fila circulando além do cravo natureza está indeciso e ficava lutámos curitiba foi um caso uma cena em que descobriu a vocação do dragão estão formando é guerreiro armados acabou beneficiado pela rua eu empolguei e obesos grau 3 a 0 o concerto está a criticar a sociedade ct agora o empolamento repetindo se atrapalhando sua reconstrução e essa valorização se devem estar nas fronteiras também entendeu esse vídeo outras acontecer na europa campanha comentários eu sinto muito que estão nas mãos de pessoas inscritas em mesas no canal possa arrumar seu banheiro tudo desde o primeiro vídeo nosso dinheiro a chuva deixou um sorvete light desde o início eu bati muito e não vou contaminar a legislar também ajuda muito na hora do beijo foi divulgado pois você interage falar em comentários ainda mais a se propagar e teve como aconteceu em muitos lugares eu conto com você pensa mesmo em saídas e chegar ao mundo a seleção estava no bloco é muito importante que a companhia também o estudo tanto aqui em baixo o link comenta que você acha comenta que você não acha comenta life my life e afins aqui no turnão todas as questões louca né um beijo tchau

26 thoughts on “APROPRIAÇÃO CULTURAL EXISTE? PODE BRANCA DE TURBANTE?

  1. Me poupe desse mimimi, lutam por igualdade e fazem isso? Ser humano é ser humano, além disso óbvio que o brasil é miscigenado, aí ninguém mais pode comer feijoada? Nao pode usar turbante? E o seu piercing da Cultura indiana? E outra, combater o preconceito chamando brancos de branquitude ? kkkk é no mínimo exibicionismo combater precinceito com preconceito?

  2. A cada dia que passa vejo que entendo um pouco mais sobre esse assunto, não é fácil mas com muita leitura e releitura aos poucos vou despertando o entendimento sobre o tema, é um pouco difícil de entender quando se é branca, ter essa visão entende? Mas enfim a questão em si mostra que é necessário, quando as pessoas forem utilizar, tenham o conhecimento histórico e reconheçam a importância das tranças.
    Mas se um(a) branco(a) mesmo tendo o reconhecimento da importância das tranças e seus significados, e usá-los de certa forma ainda estaria desrespeitando né? Ou não?

  3. Bom, estão né…
    Eu sou branco, muito branca.
    Mas sou índia de três etnias, meus ancestrais índios Pankararu… eram negros africano que se misturaram com tribos indígenas para a miscigenação da cor para não serem escravizados. A cultura daqui tem traços forte do Candomblé, exemplo disso é a mesa branca.

    Acho injustiça, eu não poder usar um turbante, um Crôa, tranças ou qualquer tipo de coisa disso. Afinal tenho origens, quero sempre representá-las através da minha imagem. Bjs😘

  4. Eu concordo com as mais variadas pautas do movimento negro, mas eu n consigo aceitar bem a apropriação cultural (sou negra)… eu acho verdadeiras tds as coisas q a Nataly disse, mas esse lance de ser contra as pessoas usarem o q qr q seja, pega pra mim!

  5. Eu não estou encontrando o primeiro vídeo dela sobre apropriação cultural aqui no youtube. Eu lembro de te-lo assistido na época e de ter discordado porque tinha uma visão de apropriação cultural mais voltada para uma perspectiva individual e não social. Sobre o vídeo atual, eu concordo com ela (mas só nesse vídeo mais recente, do anterior eu discordo)! Gostaria de poder rever o vídeo anterior porque eu acho que ela realmente teve um mudança de visão relevante de um vídeo para o outro depois desse tempo…

  6. Uma negra misturada (pura não é), num país multirracial, globalizado e que pertence a um continente que foi o último historicamente a receber carga cultural mista, quer realmente decidir comportamento alheio de alguém por ter complexo de inferioridade? Kkkk que piada. Defende a cultura africana, mas não quer nem pisar na África, mas ué, África é onde tem mais negros, imagine um lugar onde todos são de mesma cor e cultura, ahhhhhh esqueci, negros que cresceram com brancos não querem sair das asas deles, odeiam, mas no fundo não vivem sem eles.

  7. Esse tipo de pessoa que chega abordando os outros na rua (como os caras que você mencionou) tem que aprender a cuidar da própria vida. Se não gostam, o problema é deles, você não tem a obrigação de uma mudar algo que é parte de você, que você tem orgulho, para agradar a opinião de gente alienada que nem ti conhece. Siga firme e forte, não deixe que a opinião desse povo te abale.

  8. Perdi 11 minutos com vc, me falaram bem d vc em um restaurante fui conferir, vc e uma tragédia roupas e adereços usa quem quer. vai estudar filha em qual vestibular vc passou ?

  9. Ei você que fez franja,alisou e pintou o cabelo de Preto,isso é apropriação Cultural! A maioria das japonesas fazem esse corte de cabelo,e tu não sabe como elas sofreram e sofrem hoje em dia,enquanto você é elogiada no Facebook por abusar da história do cabelo delas,elas ainda sofrem por conta do machismo que sofrem no Japão,aaa,que dor,agora ninguém faz progressiva,corta,e pinta o cabelo de Preto,apropriação culturaaal!!!

    …Estou ficando cada vez com mais vergonha do ser humano.

  10. Do nada ela falou dos africanos,depois de pessoas brancas racistas,depois tu falou sobre mulher branca com trança todo mundo elogia,e as pessoas xingam teu cabelo.Entrei no vídeo querendo sabe sobre apropriação cultural ,sai do vídeo confusa e decepcionada,tendi foi nada.

  11. Vídeo excelente! Adorei e aprendi muito com seu vídeo. Sou uma senhora branca de S.P com 61 anos e gosto demais desse momento que vivemos. Acredito que todos esses movimentos atuais que afloram ou melhor ( como está na moda dizer), brotam do chão, são ótimas oportunidades de se consertar as " gaga…." monumentais que foram feitas no séc. XX. Bouling, racismo e escolha sexual, eram temas velados e agora amplamente discutidos. Parabéns pela eloquência com que se expressa. Vc é uma mulher muito bonita !!! Muito inteligente ! Orgulho de ser mulher, Parabéns 👏👏👏

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *